Poesia

Gente Lusitana | Paulo Fonseca

Cornucópia rosada de carne palpitante… com neurónios, comandada puro arbítrio, caminhante… Permeável, errante… de louca, saudável… humana, impura, insaciável… A sina de vegetar no plástico colorido… sonho de fermentar, coração desabrido… existência singela […]

Pubicado na categoria Poesia