Elegia de Amor| Maria Isabel Fidalgo

mif

pediste-nos no leito da sombra
para rezar por ti. já mal falavas.
mas ainda rezaste baixinho
um padre nosso com as tuas filhas
na véspera de todos os adeuses.
eu rezo, mãe, mas só tenho a tua fé
e o terço tem as contas do nosso amor
que construímos com arrelias e beijos
durante muito tempo. mas rezo.
e cheia de graça me vens tu
e o teu rosto de maria da terra
e do meu céu onde a toda hora
te falo enquanto à noite deito as lágrimas
na travesseira para acudir à saudade que rói
e me agasta. estou aqui ao pé do teu dia
que tanto prezavas para te dizer
que abençoada és tu entre as mulheres
e se o teu fruto sou eu vindo de ti
seja eu a pálida latitude dos teus gestos.