Paulo Bugalho

paulo.bugalho-cvPaulo Bugalho

Nasceu no ano de 1975, em Coimbra. Passou a infância e juventude em Évora, tendo vindo depois estudar para Lisboa, onde actualmente vive. É casado, pai de uma filha. Neurologista de profissão, exercendo actividade clínica, científica e académica. Vem escrevendo romances desde 1995 e leva a ficção muito a sério. Publicou em Maio de 2011 o romance “A cabeça de Séneca”, que recebeu o Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís 2010.
 

 

 


 

Artigos:

 

  • Fábulas (6) Abril 23, 2012 - 11 de Outubro, 8:45 (…) Logo na Duque de Palmela, no pórtico de um prédio, um sem-abrigo mal tratado inspecciona cuidadosamente, como tarefa de fim de dia, dois papéis pequenos que são, sem […]
  • Fábulas (4) Dezembro 21, 2011 - 04 de Outubro, 9:00 (…) Um padre à antiga, algo lento e depauperado, perto do Calvário, que é, na verdade, o sítio mais indicado para isso mesmo. (…) Da série A Ronda Paulo […]
  • Fábulas (1) Novembro 8, 2011 - 28 de Setembro 9:00 (…) Na avenida de Berna, antes da faculdade, dois toxicodependentes, que já foram protagonistas destas linhas, riam com a obscenidade expressiva de alguns quadros de Boch (A Crucificação), enquanto […]
  • Haiku em prosa (3) Setembro 7, 2011 - 13 de Setembro 9.00 (…) 3. Ao passar a passadeira junto à praça, olhei para a avenida cheia de carros. Dia prudente por entre os prédios, o sol manifestando-se como um disco muito […]
  • Híbrido (1) Julho 23, 2011 - 04 de Setembro, 9:00 Ontem eu e […] ficámos sentados durante um bocado junto ao ventilador, perto das escadas que descem da rua. Era perto das sete horas. No ângulo da Alameda, observámos […]
  • Vozes (2) Julho 3, 2011 - 03 de Setembro, 11.30 Enquanto se lê sobre o Bushido (renúncia, ascetismo zen), podem por vezes ocorrer histórias que não andam muito longe disso. Um velho característico, de boina e prótese auditiva: – […]
  • Haiku em prosa (1) Junho 16, 2011 - 02 de Setembro 9:00 (…) Num dos prédios, já quase no Areeiro, existe uma cadeira solitária, numa das varandas viradas para o resquício de um morro que fica junto à paragem de autocarro […]

Partilhar: