TEAR | Soledade Martinho Costa

soledade_foto_autora_alta

Sobre o corpo das areias
Pelas marés
Lavadas
As pedras
Na solidão dos passos
Gravam
Indecifráveis sulcos.

Rente
Perpassa
Sobre si dobrado
O horizonte
Aspirando à falésia
Aromas de cicuta.

Tinge-o
Do sepulcro das algas
O manto verde e adivinho
Fino de gume
Corpo de cisne
Ao Sol sacrificado.

Sem trono
Ceptro
Nem grinaldas
Vem e escuta:

Nas grutas
Buriladas
Nas arribas
É que se tece
O silêncio
Como o linho.

Soledade Martinho Costa

Do livro «Do Sol e da Cal»

Editorial Presença